Cacos de vidro no chão, o SUS da Capital em colapso

Os cacos de vidro esparramados pelo chão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Coronel Antonino, na noite de terça-feira (12), são símbolos de uma realidade que somente o Poder Público não é capaz de enxergar, ou finge não ver. Ninguém vai ao posto de saúde por não ter o quê fazer, todos querem respostas e tratamento para as dores que estão sentindo e, em tempos de epidemia de Dengue, qualquer sintoma já é motivo suficiente para esses pacientes terem seus diagnósticos avaliados.   Continuar lendo “Cacos de vidro no chão, o SUS da Capital em colapso”

Carnaval na Capital sempre teve brigas e pouca segurança pública

As confusões registradas pelas câmeras de smartphones neste Carnaval não são novidades na ‘Morena’. Quem tem o hábito de frequentar as festas populares da cidade sabe bem disso. Talvez hoje, por influência das redes sociais e aplicativos que permitem a troca de mensagens instantâneas, a coisa esteja mais notória. Quem ai nunca foi em um show gratuito na Avenida Fernando Correa ‘Facada da nas Costa Costas’? Era esse o apelido de outrora da via em tempos que a batalha entre gangues era constante. Continuar lendo “Carnaval na Capital sempre teve brigas e pouca segurança pública”

Alagamentos não serão resolvidos, aprendam a viver assim!

Todo campo-grandense sabe, basta uma chuva forte para a cidade virar um caos. É água para todos os lados, córregos sobrecarregados que há tempos clamam por socorro, ruas e avenidas mal planejadas que não têm para onde escorrer a enxurrada. Quem sofre é o povo, que dias atrás pagou o IPTU de valores altíssimos, enquanto que quem celebra são os donos das empreiteiras que receberão pelo serviço de tapa-buraco. Continuar lendo “Alagamentos não serão resolvidos, aprendam a viver assim!”